Tite diz que futebol e política não se misturam e por isso recusaria encontrar Bolsonaro

De acordo com Tite, sua atividade ‘não se mistura’ com a política e ele não se sentiria ‘confortável’ no encontro.

O Treinador, disse nesta terça-feira, 4, que não aceitaria um eventual convite para encontrar o presidente eleito Jair Bolsonaro em 2019, antes ou depois da Copa América, que será realizada no país.

Antes da Copa do Mundo, Tite já havia afirmado que rejeitaria uma visita ao presidente Michel Temer, caso o Brasil conquistasse o hexacampeonato. “Não (vou me encontrar com o presidente). Eu continuo com a mesma opinião. A minha atividade não se mistura (com política) e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura”, comentou Tite, em entrevista coletiva no Rio.

Tite não quis dar uma resposta direta, mas deu a entender que discordava da presença de Bolsonaro, que é palmeirense, no momento da entrega da taça ao campeão do Campeonato Brasileiro. “Eu tenho opinião, mas não quero opinar, não devo opinar. Sei da minha posição, não quero”, desconversou o técnico da seleção.

O que chama atenção nessa história é que, em 2012, após vencer a taça Libertadores da América no comando do Corinthians, o técnico Tite não viu problemas em visitar o ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva

 

5 Replies to “Tite diz que futebol e política não se misturam e por isso recusaria encontrar Bolsonaro”

  1. as imagens dispensam comentarísticos, lamento muito que uma pessoa que está constantemente envolvido com uma bola ainda não aprendeu baixar essa bola. sei que voce entendeu!!!

  2. O Tite além de incoerente é um arremedo de técnico, as imagens falam por si. Em 2012 ele não se sentiu constrangido ao visitar o Luladrão? vá entender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *