Oito funcionários da Vale são presos em investigação sobre rompimento da barragem de Brumadinho

Para o Juiz, funcionários da Vale poderiam ter evitado quase todas as mortes

Os oitos funcionários da Vale que foram presos hoje pela Polícia Civil poderiam ter evitado quase todas as mortes decorrentes do rompimento da barragem da empresa em Brumadinho (MG), de acordo com o juiz Rodrigo Heleno Chaves, do TJ-MG.

A pedido do Ministério Público de Minas Gerais, Chaves autorizou as prisões dos funcionários na quarta (13), cujos mandados foram cumpridos hoje pela Polícia Civil mineira.

De acordo com o MP, as prisões dos oito funcionários da Vale foram pedidas à Justiça porque, conforme a promotoria, eles “tinham pleno conhecimento da situação de estabilidade da barragem”.

“As prisões temporárias foram decretadas pelo prazo de 30 dias, tendo em vista fundadas razões de autoria ou participação dos investigados na prática de centenas de crimes de homicídio qualificado, considerados hediondo. Todos os presos serão ouvidos pelo Ministério Público Estadual, em Belo Horizonte. Também são apurados crimes ambientais e de falsidade ideológica.” Diz um trecho da Nota Oficial do MP

Os detidos são:

  • Alexandre de Paula Campanha
  • Artur Bastos Ribeiro
  • Cristina Heloíza da Silva Malheiros
  • Felipe Figueiredo Rocha
  • Hélio Márcio Lopes da Cerqueira
  • Joaquim Pedro de Toledo
  • Marilene Christina Oliveira Lopes de Assis Araújo
  • Renzo Albieri Guimarães Carvalho

Veja também:

“Já se iniciaram as pressões e as tentativas de lobby para impedir a CPI de Brumadinho”, denuncia Joice

Seis pessoas são presas em Brumadinho por saque, estelionato e outros crimes.

Jornalista da Globo é afastada de cobertura na tragédia em Brumadinho

News Reporter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *