Procuradora recorre contra decisão de Gilmar que beneficia Paulo Preto

Raquel Dodge recorreu hoje ao STF contra decisão de Gilmar Mendes que reabriu a fase de produção de provas numa ação em que Paulo Preto é acusado de desviar R$ 7,7 milhões dos cofres públicos de São Paulo.

Na prática, a liminar concedida na semana passada pelo ministro alonga a duração do processo –que estava na última fase, de alegações finas –, o que pode beneficiar o ex-diretor da Dersa com a prescrição, já que ele completa 70 anos no início de março.

No recurso, a PGR diz que Gilmar Mendes sequer poderia decidir sobre esse caso.

News Reporter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *