Bretas condena “Rei do ônibus” a 12 anos de Prisão

Jacob Barata Filho e Lélis Teixeira acabam de ser condenados a 12 anos e 13 anos de prisão, respectivamente, por Marcelo Bretas.

O empresário, chamado de “rei dos ônibus” no Rio, e o ex-presidente da entidade patronal do setor (Fetranspor) foram condenados por corrupção ativa no âmbito da Operação Cadeia Velha.

Desdobramento da Lava-Jato, a Cadeia Velha foi deflagrada em 2017 e investigou o pagamento de propinas para deputados estaduais do Rio, para que os interesses das empresas de ônibus fossem atendidos na Alerj.

Também foram condenados Felipe Picciani, filho do ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani; Lélis Teixeira, ex-presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor); e outras oito pessoas.

Decisão ocorre no mesmo dia em que Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) condenou Picciani, Paulo Melo e Albertassi com base na mesma investigação da Lava Jato. O processo dos três foi julgado em segunda instância porque, como deputados, eles têm foro privilegiado.

*Com informações do portal G1

News Reporter

1 thought on “Bretas condena “Rei do ônibus” a 12 anos de Prisão

  1. Enquanto os cobradores e outros trabalhadores do setor rodoviário são demitidos em massa, sob o olhas plácido, bucólico da sociedade e autoridades, esses empresários, essa oligarquia maquiavélica, dominou nosso Estado por anos, e, apesar das prisões, ainda domina.
    As leis que obrigam a volta dos cobradores nos ônibus têm sido alvo de recursos, embargos e querelas, e isso é patrocinado por quem? Um doce para quem advinhar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *