Condenado a quase 200 anos de prisão, Sérgio Cabral resolve “abrir o bico”; esse tem muito a dizer

Ex-governador detalha esquema de propina em sua gestão, cita ex-colaboradores e diz estar arrependido por não ter falado das propinas anteriormente.

Em seu depoimento de hoje ao juiz Marcelo Bretas, Sérgio Cabral afirmou ter pedido propina por apego a poder e dinheiro, o que para ele se tornou um “vício”.

O ex-governador do Rio decidiu confessar o recebimento de propina após passar mais de dois anos negando –antes, dizia ter usado em benefício próprio sobras de caixa dois de campanha.

Cabral, relata a Folha, disse ao juiz ter acertado 5% de propina sobre contratos de serviços na Secretaria de Saúde junto com o ex-secretário Sérgio Côrtes, dos quais 3% ficariam com ele e 2% com seu subordinado.

“Esse meu erro de postura, de apego a poder, dinheiro, a tudo isso… É um vício.”

Também disse ter repassado a Luiz Fernando Pezão –seu sucessor no governo, hoje também preso– R$ 150 mil mensais em propina quando Pezão era o secretário estadual de Obras.

O emedebista alegou ainda que decidiu falar a verdade “em nome da minha mulher, da minha família e da história”. “Hoje sou um homem muito mais aliviado.”

News Reporter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *