Para evitar embate entre manifestantes, Bolsonaro cancela visita a universidade

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) cancelou a visita que faria nesta quarta-feira, 27, a um centro de pesquisa de grafeno na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo. A decisão ocorre após, nos últimos dias, estudantes e movimentos políticos agendarem protestos contra e a favor do presidente em frente à sede da universidade, no bairro da Consolação, região central de São Paulo.

No início da tarde, grupos favoráveis e contra Bolsonaro protestaram dentro e fora da universidade. Houve bate-boca entre os grupos.

A informação sobre a visita foi dada na segunda-feira (25) pelo porta-voz Otávio do Rêgo Barros. O presidente também havia mencionado a visita em publicação em rede social na semana passada.

“Nos próximos dias estaremos na Universidade Mackenzie – SP, referência na pesquisa de grafeno no Brasil, juntamente com o Ministro de Ciência e Tecnologia”, disse Bolsonaro.

O objetivo da visita era acompanhar uma pesquisa sobre grafeno, que conduz eletricidade e calor melhor do que qualquer outro material e é o mais maleável que os cientistas conhecem. Segundo a Universidade Mackenzie, o material tem resistência 200 vezes superior à do aço. Bolsonaro é entusiasta do tema.

O cancelamento da visita foi informado em comunicado interno do Mackenzie, assinado pelo chefe de gabinete da reitoria, professor Wilson do Amaral Filho, e confirmado a VEJA pela Secretaria-Geral da Universidade. No texto, Amaral afirma que a visita foi “cancelada pela Presidência da República”.

News Reporter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *