Traficante, um dos fundadores e líderes do PCC, recebia pensão por invalidez

Traficante tinha 42 anotações criminais e vivia em bairro nobre.

Luiz Claudio Sant’anna, o Lico, morou durante anos na Paraíba sem ser incomodado pelas autoridades e até recebeu pensão do governo, mesmo com 42 anotações criminais. Lico foi preso na tarde de sexta-feira (22) por agentes da 77ª DP (Icaraí) com apoio da Polícia Civil da Paraíba.

Ele morava desde 2015 na Praia de Tambaú, região nobre de João Pessoa, e deveria cumprir prisão em regime aberto por tráfico de drogas. Lico vinha descumprindo as regras, ao não informar endereço e telefone, mas recebia pensão por invalidez do INSS, no valor de R$ 1,4 mil mensal.

Luiz Claudio fugiu três vezes do presídio de Ilha Grande, uma delas nadando. Em 2011, o traficante conseguiu autorização para fazer uma cirurgia em um hospital particular. Depois disso, tornou-se um foragido da Justiça até esta sexta-feira.

A delegacia diz que Lico, um dos fundadores e líderes do Comando Vermelho, continuava comandando, diretamente da Paraíba, o tráfico de drogas no complexo do Viradouro, em Niterói.

A investigação indicou que Lico não acreditava que seria preso e, por isso, curtia banhos de sol e se dedicava à pintura de óleos sobre tela. Foragido da Justiça, Lico adotou, inclusive, uma assinatura como artista na Paraíba: Luiz Águia.

*Com informações do portal G1

News Reporter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *