Facebook admite que compartilhou dados de usuários com fabricantes de smartphones

O Facebook admitiu a autoridades norte-americanas que compartilhou dados de usuários com fabricantes de smartphones e assumiu que não fiscalizou o uso dessas informações. Um comunicado enviado pela rede social ao Congresso dos Estados Unidos há um mês foi obtido e revelado pelo jornal New York Times.

A fragilidade das fiscalizações foi detectada em 2013 pelo próprio Facebook, após auditoria aprovada pelo governo local. A falha jamais foi revelada aos internautas afetados, sendo que muitos deles não haviam dado autorização para o compartilhamento de dados da rede com terceiros. A quantidade de pessoas atingidas não foi divulgada.

Sete fabricantes de celulares realizaram parceria com o site há cinco anos para terem acesso à “Experiência Facebook”, que facilitava o acesso a dados de usuários que acessavam a rede em computadores e smartphones. Entretanto, foram fornecidas mais informações do que as previstas pela agência reguladora dos EUA.

Depois da auditoria, o Facebook ampliou parcerias do tipo, em quadro que só começou a ser revertido após escândalo envolvendo a Cambridge Analytica. Nesse caso, 87 milhões de pessoas tiveram dados vazados a empresas de marketing político nas eleições que deram vitória a Donald Trump nos EUA e nas discussões sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (o Brexit).

O senador americano Ron Wyden (Partido Democrata), que divulgou a carta do Facebook, disse que “não é suficiente apenas aceitar a palavra” da rede em relação à proteção de informações pessoais. Em resposta, o site de Mark Zuckerberg disse que “leva muito a sério” as medidas determinadas pelas agências reguladoras do país.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *